Lapinha: para cuidar do corpo, da mente e da alma

Escolher a si mesma antes de tudo. Essa foi a decisão que tomei quando, apesar da semana com vários compromissos (e qual semana não é assim?) eu passaria quatro dias na Lapinha, primeiro spa médico do Brasil, localizado na cidade da Lapa, no Paraná.

Escolher a si própria não quer dizer deixar os outros de lado, pelo contrário. Para poder cuidar, trabalhar, celebrar ao lado daqueles que nos acompanham nesta jornada é preciso ter saúde física e mental. Com a vida corrida que temos nos dias de hoje, isso é deixado de lado e só nos damos conta do estrago feito no nosso corpo quando retomar alguns hábitos saudáveis requer muito mais esforço – e remédios alopáticos. E assim entramos no círculo vicioso que nos faz ingerir uma pílula para o problema e outra para aliviar o órgão sobrecarregado pelo primeiro medicamento. Como dizem nossas mães e avós, “prevenir é melhor que remediar”. E assim fui, de peito aberto, para conhecer esse pequeno paraíso.


Há quase 70 anos, Margarida Bornschein Langer começou a desenvolver o lugar que, em 1972, ganharia o nome de Lapinha. Seu intuito não poderia ser mais simples e complexo ao mesmo tempo: combater doenças por meio de terapias naturais. Foram alguns anos para preparar o lugar que abrigaria esse centro médico, localizado dentro de uma fazenda de produção de orgânicos e rodeada por uma mata subtropical.

Hoje a Lapinha é comandada pela terceira geração da família, Dieter e Margareth Brepohl, e está entre os seis melhores spas do mundo pelo importante prêmio World Spa Awards. Para alcançar tal conquista é necessário construir um espaço de total imersão em práticas de gestão do estresse, com massagens, caminhadas, hidroginástica, música, dança, entre muitas outras atividades invariavelmente voltadas para reenergizar e desintoxicar. Lá, os hóspedes/pacientes têm uma equipe de saúde multidisciplinar à disposição, especializada em práticas naturais, entre elas a nutroterapia, hidroterapia, fitoterapia, acupuntura e práticas de mindfullness – consulte o Dr. Daniel Boarin, um profissional maravilhoso que olhou e escutou com cuidado todo o meu histórico para me orientar da melhor forma durante os dias por lá e no temido “depois”, quando achamos que será impossível conseguir voltar à rotina e ter uma vida minimamente regrada.


As noites começam com palestras sobre saúde, nas quais os profissionais apresentam os estudos mais recentes sobre tudo o que pode fazer bem ou mal para o ser humano. Mas foram aquelas que falavam sobre os benefícios da alimentação e do tão falado jejum intermitente as que mais me impressionaram. Mesmo já tendo feito inúmeras matérias sobre bem-estar, não tinha ideia das inúmeras vantagens que ficar de 12 a 15 horas sem comer (das 20hs às 8hs, por exemplo) poderia me trazer. Entre elas, a desintoxicação e a desinflamação total do corpo, algo precioso para mim, portadora de uma doença autoimune que já me causou sérios problemas. É recomendado também a mononutrição a cada dez dias para fins terapêuticos, o que significa fazer as três refeições de forma leve, sem condimentos, evitando a variação de alimentos.


As dietas, aliás, são um universo a parte. E não se engane: nos primeiros dias você pode sentir fome ou desconforto. Mas, assim que você se permite ser envolvido pelo universo Lapinha, essa sensação logo passa e começamos a olhar com mais cuidado para dentro de nós. No meu caso, os profissionais do centro me recomendaram uma dieta sem laticínios e glúten – nunca me senti tão bem. Todas as refeições são baseadas nos alimentos funcionais, que ajudam na prevenção de várias doenças.

Outra excelente opção para desintoxicar e aumentar a imunidade do corpo é a Mayr Prevent, dieta com foco na prevenção por meio do tratamento da mucosa intestinal. A Lapinha é a única instituição de saúde no Brasil e a segunda na América Latina a receber a certificação de Centro Mayr Prevent da Sociedade Internacional de Médicos Mayr, com sede na Áustria, para realizar esse tratamento terapêutico.

Só posso dizer que quatro dias é pouco tempo para explorar os encantos da Lapinha. Mas o impressionante é ver como o corpo se regenera com presentes como esse que damos a eles.

Lapinha spa